quinta-feira, 19 de outubro de 2017

PREVENÇÃO DE ACIDENTES


LIDERANÇA INSPIRADORA


PROFESSORES


EM BREVE


SOLUÇÕES INSPIRADORAS


ASSEMBLÉIAS


LIDERANÇA


BRADO ASSOCIADOS CONSULTORIA - SÃO PAULO


TV SÍNDICO PROFISSIONAL


DISCIPLINA


DESAFIOS


quarta-feira, 18 de outubro de 2017

IMPACTOS DO E-SOCIAL PARA OS CONDOMÍNIOS

Novo sistema de escrituração digital das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, o e-Social trará mudanças para todos os empregadores

Em 1° de agosto foi disponibilizado o acesso ao ambiente de testes da plataforma do e-Social para todas as empresas do país.
A etapa tem como objetivo preparar o setor produtivo para o início da utilização obrigatória do sistema que começa em 1º de janeiro de 2018 para empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões anuais e, a partir de 1º de julho de 2018, o e-Social se tornará obrigatório para todos os demais empregadores do país.
Criado pelo Governo Federal através do Decreto n.8.373/2014, o e-Social institui um sistema de escrituração digital das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas com o envolvimento da Receita Federal, do Ministério do Trabalho, do INSS e da Caixa Econômica Federal.
O sistema padroniza a transmissão, validação, armazenamento e distribuição de informações feita pelo empregador e integrará a rotina de mais de 8 milhões de empresas e 40 milhões de trabalhadores no país.
Segundo o contador Gilson Borghesan Primo, as mudanças afetam todas as empresas que tenham funcionários, incluindo também os condomínios. Todas as rotinas trabalhistas como admissões, aviso e pagamento de férias, desligamentos, não poderão mais ser retroativos como acontece hoje.
A empresa deverá fazer um planejamento e as informações deverão ser enviadas em tempo real. “No caso de uma admissão, por exemplo, o condomínio deverá enviar as informações da contratação, os dados pessoais e as informações trabalhistas um dia antes de o funcionário iniciar o trabalho”, explica.
Outro ponto destacado pelo contador é o cumprimento das normas de Medicina e Segurança do Trabalho.
De acordo com Gilson, os laudos médicos e atestados obrigatórios deverão sempre estar dentro da validade e caso o condomínio não possua esses documentos deve entrar em contato com a contabilidade para buscar informações e providenciá-los antes mesmo de o e-Social entrar em vigor.
“Os síndicos devem entrar em contato com a sua contabilidade para buscar orientação e não deixar para a última hora. Além disso, os responsáveis pela gestão dos recursos humanos devem ser informados sempre dos fatos ocorridos com os trabalhadores à medida que irão acontecendo, não deixando as informações se acumularem para informar uma única vez por mês como hoje é feito em muitos casos”.
Prestadoras de serviço
Síndica profissional, Giovanna Hanauer acredita que a melhor maneira para estar preparado para as exigências do e-Social é ter o conhecimento legal no que diz respeito à gestão condominial. Além disso, é importante estabelecer relações comerciais com empresas aptas a trabalhar com a nova plataforma.
“O e-Social exigirá que as informações sejam enviadas em formatos específicos e em tempo real e caso os prestadores de serviço, como por exemplo, administradoras, escritórios de contabilidade, que têm essa responsabilidade não estejam preparados para o envio das informações no padrão determinado, o condomínio poderá receber multas ou notificações.

Por isso, é dever dos síndicos questionar as empresasse elas estão realmente preparadas para a transmissão de dados e evitar exposições desnecessárias aos condomínios”, argumenta.

Na opinião de Gilson, o e-Social não criou nenhuma lei, mas surgiu para que seja possível colocar em prática, dentro dos prazos previstos pelas normas trabalhistas e previdenciárias, o que hoje já existe e não vem sendo cumprido pelo contribuinte.

“Como constará em um único arquivo todas as informações necessárias facilitando a fiscalização por parte do governo, com certeza o não cumprimento implicará em penalidades, onerando os condomínios que não cumprirem as normas”, ressalta o contador.

segunda-feira, 11 de setembro de 2017

LOGUS


SÍNDICO PROFISSIONAL NO ABC DE SÃO PAULO


SÍNDICO PROFISSIONAL NO ABC DE SÃO PAULO


SÍNDICO PROFISSIONAL NO ABC DE SÃO PAULO


SÍNDICO PROFISSIONAL NO ABC DE SÃO PAULO


SÍNDICO PROFISSIONAL NO ABC DE SÃO PAULO


SÍNDICO PROFISSIONAL NO ABC DE SÃO PAULO


SÍNDICO PROFISSIONAL NO ABC DE SÃO PAULO


SÍNDICO PROFISSIONAL NO ABC DE SÃO PAULO


ONZE DE SETEMBRO


ONZE DE SETEMBRO


ONZE DE SETEMBRO


ONZE DE SETEMBRO


SEGURANÇA


CIRSO DE 40 HORAS EM SANTO ANDRÉ - SP


CURSO DE SÍNDICO PROFISSIONAL EM SANTO ANDRÉ


ARTIGO



11 de Setembro de 2001 - Um minuto de silêncio...

Caros amigos profissionais do segmento de segurança, segurança pública, privada, orgânica, eletrônica, do trabalho  etc... Hoje é onze de setembro, data que marca definitivamente na história  da humanidade a face mais escura do caos e do terror.

Temos atualmente a oportunidade de fazer estudos de Análise de Cenários e  Gerenciamento de Riscos e constatar que o pensamento assimétrico dos mentores dos atentados prevaleceram , e que o despreparo de todos ,  para uma situação de tamanha crise era fato nos Estados Unidos.

Nas organizações por onde passo há muitos anos luto contra o amadorismo, a improvisação, o achismo, a falta de planejamento  e o despreparo que levam à morte muitas pessoas e perdas imensuráveis  , em caso de graves ocorrências. Pergunto sempre em minhas palestras , o que aprendemos com a tragédia de onze de setembro de 2011 ?
Paremos um minuto para pensar em nossa trajetória pessoal e  profissional e em todas as vidas ceifadas nos Estados Unidos em Setembro de 2001 .

Como gestores de segurança não podemos errar, não temos este direito meus amigos.
Temos que identificar , avaliar e tratar riscos .
Vamos nos unir por um objetivo comum , vencer inimigos  invisíveis com a especialização, capacitação , qualificação profissional, estratégia e inteligência , é preciso estudar mais , analisar, pesquisar, investigar, dirigir, controlar, organizar, coordenar nossas equipes de alta performance com eficiência.

Temos muito a fazer ...

A Brado Associados  através de sua direção , faz agora esta reflexão e espera todos em seus cursos e encontros .

Homenagem aos heróis e anônimos de 11 de Setembro.


 

sábado, 9 de setembro de 2017

BRADO ASSOCIADOS CONSULTORIA


CURSO DE PORTARIA - GRANDE ABC


MERCADO AQUECIDO

A função de síndico, na maioria das vezes, fica por conta de um morador do condomínio. Mas, para quem deseja fazer disso uma carreira, há cursos disponíveis no mercado com curto tempo de duração e emissão de certificado. O retorno financeiro é garantido, com o pagamento de bons salários. É oportunidade também para quem está fora do mercado de trabalho.
A expansão dessa atividade é estimulada pelo aumento das vendas de empreendimentos novos. De acordo com levantamento da Acigabc (Associação dos Construtores, Imobiliárias e Administradoras do Grande ABC), no primeiro semestre foram comercializados 3.957 apartamentos, aumento de 16% em relação aos seis primeiros meses de 2012. O resultado foi o melhor dos últimos quatro anos, e supera em 41,6% o total vendido de janeiro a junho de 2010 (2.794 unidades).
De acordo com o vice-presidente do Secovi (Sindicato da Habitação), Hubert Gebara, nos últimos anos a procura pela função tem aumentado bastante. “De dez anos para cá o posto de síndico vem sendo cada vez mais procurado, porque hoje em dia nós temos no mercado empreendimentos com até 1.000 unidades, o que requer que o profissional fique o dia inteiro à disposição do condomínio, algo que o morador dificilmente tem condições.”
O presidente do Seec – ABCD (Sindicato dos Empregados em Edifícios e Condomínios Residenciais e Comerciais do ABC), Delfonso Pereira Dias, destaca que na região a procura é maior em duas cidades. “Há maior demanda desse profissional em condomínios em Santo André e São Caetano”, disse.
FORMAÇÃO - Apesar de não ser uma profissão regulamentada, o síndico que tenha uma formação é procurado pelas administradoras de condomínios ou pelos próprios moradores. Os cursos que estão disponíveis no mercado têm duração que varia de um dia até seis meses, podendo ser presencial ou à distância.
De acordo com Ricardo Karpat, diretor da Gabor RH, empresa que dá aulas para síndicos, há vários estágios de formação. “Oferecemos dois tipos de cursos, o síndico profissional módulos um e o dois, que é o modulo avançado. No primeiro, falamos sobre aspectos como departamento pessoal e contabilidade. Já no segundo, que é mais aprofundado, ensinamos a ter uma gestão melhor”, afirmou.
Karpat também comemora a grande procura pelos módulos. “Temos hoje, em média, 12 turmas por ano no presencial. No on-line, chegamos a ter 50 turmas por mês, e está cada vez melhor.”
O morador de São Caetano Regis Valcezia decidiu arriscar na carreira. Mesmo já atuando na administração de condomínios, decidiu mudar de área atuando como síndico. “É uma experiência boa, temos um salário bacana. Atuando em dois condomínios já cheguei a ganhar R$ 9.000”, disse.
O salário para condomínios de uma só torre pode chegar a R$ 2.500, já um condomínio clube, com aproximadamente 800 unidades, o rendimento pode beirar os R$ 7.000. Os bons valores são explicados pelo rateio do salário que é feito entre os condôminos, na maioria das vezes.
Outro fator que pode pesar na decisão da escolha da carreira é a flexibilidade. Um síndico pode ficar com até três condomínios, sendo especificado nos contratos o dia em que deve ser feito o plantão em cada estabelecimento.
Valcezia também cita este ponto como decisivo. “Eu quero escolher o local do trabalho, e essa profissão possibilita isso, se você quer um condomínio clube, ou algo menor.”

Contratados também podem ajudar nas brigas entre vizinhos
Parte da preferência por síndicos profissionais tem a ver com a questão das relações com os condôminos.
De acordo com o vice-presidente da Secovi, Hubert Gebara, a partir do momento em que o profissional não é morador, ele não interfere nas relações de amizade entre os condôminos. “Além de ter mais tempo de se dedicar à profissão, há prédios complicados, com conflitos. Sem contar que muitas vezes a vizinha de cima faz barulho, e o síndico tem que multar, mas pode acontecer de a mulher dele ser amiga dessa vizinha, o que pode gerar um desconforto”, disse.
Na hora de escolher o síndico, se será contratado ou eleito no condomínio, é preciso ponderar algumas questões. “É importante pesquisar bastante antes de escolher o profissional, porque existe o risco de, se ele não for condômino, poder criar mais despesas, já que o prejuízo não vai ser dele. Mas acredito que se agir eticamente não haverá problema”, argumentou o vice-presidente do sindicato da habitação. Geralmente as referências já são procuradas nas próprias escolas.
 

CURSO DE SÍNDICO PROFISSIONAL EM SANTO ANDRÉ - GRANDE ABC


CURSO DE SÍNDICO PROFISSIONAL EM SANTO ANDRÉ - GRANDE ABC


CURSO DE SÍNDICO PROFISSIONAL EM SANTO ANDRÉ - GRANDE ABC


CURSO DE SÍNDICO PROFISSIONAL EM SANTO ANDRÉ - GRANDE ABC


CURSO DE SÍNDICO PROFISSIONAL EM SANTO ANDRÉ - GRANDE ABC


CURSO DE SÍNDICO PROFISSIONAL EM SANTO ANDRÉ - GRANDE ABC


CURSO DE SÍNDICO PROFISSIONAL EM SANTO ANDRÉ - GRANDE ABC


INVISTA NO CURSO DE SÍNDICO PROFISSIONAL


SEMANA DA PÁTRIA BRASIL / BRADO ASSOCIADOS


SEMANA DA PÁTRIA BRASIL / BRADO ASSOCIADOS


SEMANA DA PÁTRIA BRASIL / BRADO ASSOCIADOS